quarta-feira, 24 de abril de 2019

                             
                UM SONHO

       Sonhei com um passarinho
       Muito entusiasmado
      A minha porta a cantar

       Como que a chamar por mim 

       Para deixar um recado.


       Quando à porta cheguei

       Para o ouvir cantar

       bela  historia  Apreciei

                para atenção me chamar.


       Para quê tanta angustia

       que carregas permanente

        porque não gozas a vida

       Tão bela e colorida


       Que passa num der-repente.
        
         
       Não tenho tecto nem sobrado

       E ando sempre contente

       Voando de prado em prado

       A procura de semente.


       trago sempre o mesmo fato

       Não me sinto esquisito

       Os que em mim fazem reparo

       Dizem-me com muito afago

       Que passarinho bonito.


       Não sei porque os humanos

       Não conseguem entender

      Que para se ser feliz

       Não precisa muito ter.


       Assim vão continuando

       Envoltos no seu torpor

       Preferem se lamentar

       Por não querer acreditar

       O que  lhes falta é amor.


       O amor traz alegria

       Saúde satisfação

       Só a boa energia

       No passar do dia a dia

       Nos alegra o coração.


       Quando souberem amar

      Como lhes foi exigido

                   Tudo há-de modificar

      Disso estou convencido

      Todos puderam gozar

     O que lhes foi prometido.

domingo, 31 de março de 2019

PÁSSARO AMARELO


Mocinha da Aldeia

Humilde e engraçada

Há sua janela

Muito concentrada

Afinando as cordas

Da sua guitarra.


Um moço a conquistou

Com um sorriso belo

Ela lhe chamou

Pássaro amarelo


Ele a convidou

Para ir passear

Ela não hesitou

Por vales e montes

O acompanhou.


O sol a raiar

A brisa ligeira

Que bonito dia

Há sua beira

Tudo lhes sorria.


As flores do campo

Amora silvestre

Ele a comparando

A  flor do cipreste.


Com a guitarra

Que consigo levou

Linda melodia

Para ele tocou.


Com a melodia

Ficou emocionado

E lhe prometia

Ficar a seu lado.


Que horas felizes

Grandes ilusões

Agitados batiam

Os seus corações


O sol poente

Ao se despedir

diminui a chama

Diz ele tenho que ir

O dever me chama.


Com suas promessas

A fez a creditar

Que muito em breve

Iria voltar.


O tempo passou

sem ele regressar

A mocinha triste

Pôs-se a reclamar.


O tempo passou

To não regressaste

Pássaro amarelo

Para onde voaste?


Senti saudades

Desse sorriso belo

Porque não voltaste

Pássaro amarelo?

O VELHINHO





              Mais respeito plo velhinho

              Outrora ele foi criança

              Que recorda com carinho

             Detalhes da sua infância.


             E da sua mocidade

             Que lhe troce alegria

             Quanto sonhos planeados 

                           Como fonte de magia

              Nem todos concretizados

                           porque o tempo lhe fugia.


              Quanto à sua robustez
              
              muito nela confiava

              Que também por sua vez

              Em silencio se afastava.


             Hoje já envelhecido

             Bastante desiludido
            
             Pela falta de apreço

                          Vai vivendo magoado
       
             Até mesmo ignorado

                          Como pedra de tropeço.


            Um pouquinho de carinho

            Uns minutos de atenção

            Quanto basta pro velhinho

            Alegrar seu coração.


            Um bom dia um sorriso

            São gestos de agradar

            Devemos nossa alegria

           Com os outros partilhar.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

JARDIM




                                                               
                                                  
                Parei junto a um jardim
                Para flores apreciar
               Que maravilha em-fim

               Era mesmo de louvar.
               Eu vi cravos também rosas
               Me sorrirem com ternura
               Encontrei na açucena
               Muita pureza e candura.
                                                                     
               Meu coração perguntou
               Quem lhes deu tanta beleza
               Uma voz me ecoou
               A nossa mãe natureza.

               Pus-me logo a magicar
               Que sofisticado pintor
               Volta a voz a ecoar
              São obras do Criador.

              Nas florinhas reparando
              Todas eram desiguais
              Bela aroma iam deixando
              Como seres celestiais.
                                                     
                                                   
                                                     
                                     


sexta-feira, 24 de março de 2017

MEU PORTUGAL

   
  Sábios poetas dizei-me
Neste tempo tão banal
Lá no vosso entender
Se o governo que nós temos
nos vai salvar Portugal
Ou o deixará morrer.

Se ele morrer morro com ele
sempre junto à sua beira
Isso vos dou a certeza
não quero outra bandeira
Que não seja a portuguesa.

Lindo Portugal de outrora
trago no peito gravado
A tua bonita historia
Dum glorioso passado.

E certo que a ditadura
Ao povo também ofendia
Para maior desventura
A falça democracia

Há para ai multidões
Aflitos por não terem
Onde ganharem o pão
Para os seus filhos comer

O que fizeram de ti
Meu portugal adorado
Para tão alto subir.
Bem diz o velho ditado
Quem sobe demasiado
Ao mais baixo vem cair.





terça-feira, 2 de agosto de 2016

NÓS DOIS


            NOS DOIS


Vacilei Tu vacilaste
Nós os dois  fomos culpados
Perdoei tu perdoaste
estamos reconciliados.

Vamos começar  de novo
Como se nada houvesse
Lutando pelo amor
O bem  querer nunca esquece.

Porque tem de ser assim
nesta vida de ilusão
tudo se consegue em fim
Com a bênção do perdão
 .

sexta-feira, 17 de junho de 2016

REFLEXOS

Trabalhei para viver 
Não devo nada a ninguém
Os reflexos de meu ser 
herdei-os de pai e mãe.

Seguindo o seu exemplo
P`ra na vida prosperar  
humildemente vivendo
sem a ninguém prejudicar.

Os seus sábios conselhos
Não esquecerei em fim
Nunca fazer aos outros 
O que não quero para mim.

Justiça e sinceridade
Gestos de grande valor
foi assim que me educaram
com carinho e amor.

Obrigada pai e mãe
por me terem dado o ser
esperem por mim no além 
Que um dia lá irei ter.




domingo, 22 de fevereiro de 2015

RECORDANDO O PASSADO.

Longos anos já passados
Meus cabelos branqueados
O meu rosto enrugado
Meus passos diminuídos
No coração e na mente
Trago ainda bem presente
O povo de antigamente
Doutros tempos já vividos
tempos que o povo não tinha
Avida facilitada
Desde manhã ao sol por
Tralhavam com ardor
Puxando pela enxada .

Este povo lutador
Humildemente vivia
Em Deu ele confiava
Também sorria cantava
Mostrando ter alegria
Era muito persistente
Alegre e resignado
Mesmo que custe a crer
Conseguiu sobreviver
Sem subsidio do Estado.

O que mais me penaliza
Ao recordar outros tempos
Este povo tão sofrido
Que nos era muito querido
Não terem usufruído
Do conforto que nós temos.



quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

UM DESEJO...



Eu desejava mais ter 
Para a outros ajudar
No meu humilde viver
Sempre tive que trabalhar.

A pouco e pouco lutando
O pão da vida ganhei
Graças a Deus vou dando
Plo pouco que amealhei.

No conforto do meu quarto
Ignorar não consigo
Os Senhores do mundo farto
E os pobres sem abrigo.

Por eles a Deus peço
E pedirei sem cessar
Para que os sem abrigo
Cada qual consiga um lar.

Se é triste pobre ser
E em tudo ter que poupar
Muito mais triste é não ter
Onde a cabeça reclinar.

NO ENTARDECER DA VIDA...




No entardecer da vida
Toda a cor se desvanece
Alua menos brilha
O sol menos aquece.

As estrelas cintilantes
De nós se vão afastando
E o seu bonito brilho
Assim o vão ocultando.

As flores do meu jardim
Já não tem o mesmo aroma
As árvores do meu quintal
Diminuíram a sombra.

Só no meu peito avança
Esta enorme saudade
Do tempo da minha infância
E da minha mocidade.

Tempo que passou ligeiro
Na mente ficou gravado
No entardecer da vida
Ele é muito relembrado.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

UMA PRECE...











Peço a Deus e à Virgem
Pela nossa juventude
Que siga o caminho do bem
Da alegria e virtude.

Lhe surjam novas ideias
Pra o mundo modificar
Que se quebrem as cadeias
Do mal dizer e julgar.

Governando em linha recta
Pra na vida prosperar
Que atinjam a sua meta
Sem a ninguém derrubar.

Quão erróneo os padrões
Tem os nobres de viver
Pra rolarem com milhões
Quantos de fome a morrer.

À quem viva com milhões
Outros com mil avultados
Muitos são aqueles que vivem
Com os sentimos contados.

Só no mundo haverá paz
E também pra todos pão
Quando o nobre vir no pobre
Não escravo, mas irmão.

sábado, 18 de maio de 2013





 UM PÁSSARO NO  NINHO

Lá dentro no seu ninho
um passarinho cantava
desejando ele voar
a coragem lhe faltava.

depois de muito pensar
o passarinho tentou
batendo as suas asas
saiu do ninho voou.

Num voo turbulento
do arbusto se afastou
sem se aperceber
longe do ninho  ficou.

Sentia-se já cansado
o que era natural
o passarinho assustado
foi pousar num beiral.

Recordando-se do ninho
pôs-se logo  a magicar
será que ainda consigo
ao meu ninho regressar?

As suas asas batendo
ao invés ele voou
e num voo mais ameno
ao ninho ele regressou.

Voltou de novo a cantar
como a nos querer dizer
que os problemas da vida
conseguem-se resolver.
Para isso é necessário
a coragem não perder.
         
38

sábado, 13 de outubro de 2012

o

        MEU PORTUGAL


Sábios poetas dizei - me
neste tempo tão banal
lá no vosso entender
se o governo que nós temos
nos vai salvar Portugal
ou o deixará morrer.

Se ele morrer morro com ele
sempre junto à sua beira
isso vos dou a certeza
pois não quero outra bandeira
que não seja a portuguesa.

Lindo Portugal de outrora
trago no peito gravado
a tua bonita história
de um glorioso passado
é certo que a ditadura
ao povo  também afligia
para maior desventura
a falsa democracia

Andam para ai multidões
tão aflitos por não ter
onde ganharem o pão
Que os filhos poção comer
Que triste desilusão
Digo isto com franqueza
Enquanto os senhores dos milhões
Vivem à grande e à francesa.

O que fizeram se ti 
Meu Portugal adorado
Para tão alto subir
Bem diz o velho ditado
Quem sobe demasiado
Ao mais baixo vem cair.


domingo, 29 de julho de 2012

ARCO-IRES


A sombra do arco- ires
fui falar ao meu amor
a experiência me diz
que agradei ao Criador.

Desenhei um arco ires
no portão da minha casa
onde houver um arco-ires
ai não entra a desgraça

Arco ires .arco-ires.
com as tuas cores garridas
confortas as nossas almas
alegras as nossas vidas.

Arco-ires aliança
de Deu com o nosso povo
onde paira um arco-ires
estará o homem novo.

segunda-feira, 16 de julho de 2012


A

SOL DA PRIMAVERA

Na minha cama deitada
 Pelo sol eu fui beijada
entrou pela janela
estando ela fechada.

Com seus raios reluzentes
muito me acariciou
passado tão pouco tempo
do sono me despertou.

Eu fiquei tão sossegada
ao sol eu não  me impus
senti-me uma criança
gozando a minha infância
num berço cheio de luz..

Quando ele se despediu
estava serena e calma
em silencio me espargìu
um raio de luz na alma.       

Se ele tornasse a voltar
meu Deu quem a mim me dera
que eu pudesse desfrutar
delicias da Primavera.

terça-feira, 29 de maio de 2012


SE HOUVESSE GUITARRAS NO CÉU

Se houvesse guitarras no céu
para lá eu voaria
bailar com São José
cantar  à Virgem Maria.

O Deus Menino embalar
com cantigas animadas
ver os anjos a voar
ao toque das guitarradas.

Aos santos ensinar
o baile das chamarrita
porque cantar bailar
não à coisa mais bonita.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

A memoria de Ludovina Pires

A MEMORIA DE LUDEVINA PIRES












 


Como uma nuvem voaste
Tinhas a missão cumprida
E a todos nos deixaste
uma lição de vida.

Sorrias mesmo sofrendo
O que era de louvar
Assim foste procedendo
Para nos encorajar

Muito sofreste em silencio
A Cristo te assemelhaste
como luz que ilumina
foste uma grande mulher
Para todos nós serás
uma nova ironia.










   O CANTO DO PASSARINHO

Sai de casa cedinho
 para ver o sol  raiar 
encontrei um passarinho
entusiasmado a cantar.

Uma linda melodia
que tão bem a entoava
sobre os ramos de uma árvore
como ele se esmerava.

Era assim que agradecia 
ao nosso Criador
por mais um bonito dia 
cheio de luz e calor.

Canta, canta passarinho
disse-lhe eu a sorrir 
canta ,canta passarinho
 gosto muito de te ouvir.

A cantar continuou
pulando de galho em galho
nem uma nota falhou
que cantador afamado.

Também me deu que pensar 
o canto do passarinho
sem ninguém o ensinar 
tudo aprendeu sozinho.

A partir   desse dia
vi tudo com mais clareza
que grande sabedoria
tem os dons da natureza

   

quinta-feira, 15 de março de 2012



CONTADO AS ESTRELAS

Vi uma estrela a correr
um raio de luz deixou
alegria de viver
nunca me abandonou.

Estava contando as estrelas
chega-se a mim um gago
que lindas estás a vê-las
o carreiro de Santiago .

Contava ainda as estrelas
a Lua a me convidar
nunca consegues de-telas
vem comigo a noite passar.

O convite aceitei
ficando tão perturbado
como eu conseguirei
chegar ao céu estrelado.

fiquei um pouco sozinho
perdido na amplidão
desceu do céu um anjinho
que me levou pela mão.

Eu vi tantas maravilhas
que não consigo explicar
por Deus estão protegidas
para quem ao céu chegar.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

No meu canto

See full size image

Recolhida no meu canto
Recordando a mocidade
Aquele tempo de encanto
de alegria e vaidade.

Os caminhos tortuosos
Fáceis eram de percorrer
O cantar dos passarinhos
Alegrava o meu viver.

E nas noites de luar
Trago ainda na ideia
Ir pra rua me sentar
cantar à Lua cheia.

Nesse tempo na pobreza
Vivia-se em alegria
Quando se punha a mesa
Rezava-se avé Maria.

E ao toque das trindades
Quando o sino convidava
Eram tão lindas as preces
Que à Virgem se invocava.

Ave -Maria Senhora
Cheia da graça Divina
Tu és mãe e protector
És a mais alta rainha.

Era grande a devoção
Ao toque da ave-Maria
No campo o ancião
A cabeça descobria.

Quem se entrega aos teu cuidado
Acredito Virgem mãe
Que carregando o seu fardo
 Sente-se feliz também.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

HÁ QUEM DIGA

    

Há quem diga que  é tão triste
a velhinha se chegar
pois eu agradeço  a Deus
da vida me conservar
gosto muito de viver                                                ver o dia amanhecer
também o sol a raiar
quando chega à tardinha
parte pra a Ilha vizinha
para lá vai repousar.

Que lindas as flores do campo
que as admiro tanto
vem o mundo embelezar
as aves com seus anseios
vão soltando os seus gorjeios
no seu leve esvoaçar.
as flores do meu jardim
quando se riem pra mim
com toda a sua pujança
leva-me mesmo a crer
que vale a pena viver
pra receber sua fragrância.
Quando chega ao fim do dia
a Deus e à Virgem Maria
não deixo de agradecer
os longos anos passados
que me tem sido poupados
pra tanta beleza ver.